media

O stress do nosso dia-a-dia e a falta de tempo leva-nos muitas vezes a optar pela comida rápida, rica em calorias e gorduras insaturadas o que origina uma carência de nutrientes essenciais, a obesidade e o aparecimento de doenças relacionadas com ingestão excessiva de açúcares e de gorduras, como a diabetes e a arteriosclerose, entre outras.

As algas constituem um alimento natural que nos fornece um elevado valor nutritivo mas baixo em calorias. Com valores muito reduzidos em gorduras, as algas marinhas possuem polissacarídeos que se comportam, na sua grande maioria, como fibras sem valor calórico.  As algas alimentares proporcionam uma dieta rica e saudável – em oligoelementos e vitaminas – oferecendo uma multiplicidade de sabores, aromas e texturas, tornando-se um alimento alternativo que facilmente desperta a curiosidade dos paladares mais curiosos. Por serem ricas em minerais, vitaminas e fibras mas, pobres em lípidos, são sem dúvida uma excelente opção para regimes de emagrecimento podendo mesmo facilitar o trânsito intestinal, baixar as taxas de colesterol no sangue e até reduzir certas afeções como o cancro do cólon.

Em que se diferenciam e destacam as algas marinhas face a outros alimentos?

  • Possuem até 10 vezes mais minerais que os vegetais terrestres, nomeadamente magnésio, fósforo, cálcio, potássio, ferro, zinco, iodo, selénio e manganês (ex.: mais ferro que as lentilhas e mais cálcio do que o leite de vaca);
  • São ricas em proteínas que contêm todos os aminoácidos essenciais (equiparadas às qualidades do ovo);
  • São uma fonte de multivitaminas (A, C, D, B9, B12, E) em quantidades significativas. Merece especial relevo a presença da vitamina B12, ausente nos vegetais superiores;
  • São ricas em fibras tanto como uma couve e mais do que uma alface;
  • Possuem baixo conteúdo em gorduras e em valor calórico sendo portanto adequadas para regimes de emagrecimento.

 

A sua riqueza não se restringe somente à parte alimentar. Das suas propriedades cosméticas e terapêuticas podemos destacar: a estimulação do metabolismo tecidular e da circulação sanguínea, a tonificação e hidratação dos tecidos cutâneos retardando o envelhecimento da pele, a estimulação do bom funcionamento das glândulas sebáceas e a regulação do conteúdo hídrico facilitando a libertação de toxinas (detox). As algas são por isso também amplamente utilizadas na indústria cosmética e em tratamentos de Talassoterapia.

São vários os estudos publicados que referem que as algas são indicadas como preventivas e curativas de inúmeras patologias, tais como: hipertensão, distúrbios da tiroide, falta de visão noturna, problemas de pele e das mucosas (respiratória, gástrica e vaginal), problemas gastrointestinais (são reguladoras da flora e do trânsito intestinal sendo por isso indicadas tanto para a prisão de ventre como para a diarreia), reumatismo, obesidade, anemia, astenia (debilidade), tratamentos pós-operatórios, cancro, parasitismo.  Para além disso,  potenciam ainda as funções cerebrais, ajudando a preservar a memória, a concentração e a agilidade mental.


Resumo dos 
principais benefícios no consumo de algas:

  • Têm efeito antioxidante o que ajuda a prevenir o envelhecimento precoce;
  • São ótimas para os tratamentos de beleza: as suas propriedades antioxidantes e a alta concentração de sais minerais e colagénio fazem com que sejam utilizadas em vários produtos de beleza, como máscaras de peeling, cremes hidratantes, reafirmantes, anti-rugas e anti celulite, estimulantes capilares e outros de prevenção do envelhecimento precoce;
  • Previnem e combatem tumores cancerígenos. As mulheres asiáticas, têm índices menores de cancro da mama, do ovário e endométrio (parte interna do útero);
  • As algas (castanhas) contêm um carboidrato específico que é um poderoso anti-inflamatório, chamado de fucoidan;
  • A alta concentração de iodo nas algas ajuda na saúde da tireoide;
  • A vitamina K presente nas algas auxilia o funcionamento do nosso sistema gastrointestinal que, para além de ter propriedades anti-hemorrágicas, pode tratar de azias, gastrites e úlceras;
  • Como as algas permanecem no estômago mais tempo, elas proporcionam uma sensação maior de saciedade, o que as torna ideais para as dietas de emagrecimento. Para além disso, as suas propriedades desintoxicantes ajudam a queimar as gorduras e a regular o intestino, facilitando a absorção dos nutrientes e a eliminação do que não é bom para o organismo, como é o caso do colesterol. As algas ajudam ainda a regular o metabolismo do corpo;
  • As algas melhoram as funções cerebrais, ajudando na concentração e prevenindo doenças degenerativas do cérebro e do sistema nervoso;
  • São boas para o coração pois para além dos seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, as algas ajudam a eliminar o mau colesterol e fortalecem os vasos sanguíneos, prevenindo problemas cardíacos e AVC’s;
  • Como são um alimento completo, as algas são nutritivas podendo ajudar a combater a anemia e as carências alimentares.

 


Fontes: 

Portal Português das Macroalgas - www.macoi.ci.uc.pt; 

CEVA (Centre d’Étude et de Valorisation des Algues) - www.ceva.fr;   

AlgaeBase - www.algaebase.org 

Pereira, L., "As Algas Marinhas e Respectivas Utilidades", Texto baseado na palestra com o mesmo título, integrada na iniciativa “Contam as Plantas”, organizada pelo Departamento de Botânica da Universidade de Coimbra (FCTUC) e pela Sociedade Broteriana.

  • Jul 11, 2017
  • Category: Saúde
  • Comments: 0
Comments: 0

No comments

Leave a Reply

Your email address cannot be published. Required fields are marked*